15 janeiro 2014

Resenha-Proteja-me



proteja-me
Li Proteja-me em dezembro do ano passado apesar de ter o ganho meses antes de uma ex-aluna a Juliana Duarte do blog  Blog Limonade of BOOKS para começar a fazer resenhas dos seus livros, mas sabem como é a vida de professora um verdadeiro corre corre, ano passado não deu para conciliar a vida pessoal, profissional e meu vício por leituras, eu tenho um enorme defeito, se eu estiver muito atarefada não consigo me concentrar na leitura e o livro Proteja-me requer concentração e energia, pois é uma leitura complexa, sua história é um tipo de drama que nos envolve, emociona a ponto de nos fazer chorar, pois o seu enredo é cheio de revira voltas e de lições de vida.
Janie é uma jovem viúva, com um filho pequeno e uma filha praticamente recém nascida, ficara viúva de forma inesperada, seu esposo Robby morrera em um acidente estúpido, na qual ela nunca se conformava e o culpava por a ter deixado com duas crianças pequenas.
Leiam um trecho que expressa bem sua dor:
”O pior é às seis da tarde. É a hora em que ele entraria pela porta vindo do trabalho, quando eu entregaria a bebê e diria a ele: está pego, agora você é o pegador, com um grande sorriso ele sorriria me beijaria e abraçaria a bebê. E Dylan viria a toda para cima dele e se penduraria no cinto dele nas costas até a calça dele arriar até metade de seu belo traseiro firme. E ele ficaria balançando para frente e para trás, dizendo ”cadê o Dylan, cadê aquele ursinho?” e Dylan urraria com a satisfação de tê-lo enganado de novo.”
Devido a viuvez ela opta em se isolar do “mundo”, cultivando a sua raiva devido a ida de seu esposo.
Sua família é composta por sua tia Jude, tios e o primo Cormac, um doceiro muito simpático e fofinho, além da vizinha e agora grande amiga Shelly. Todos eles fazem de tudo para apoia-la, ainda mais agora que a mãe dela não parece ter se importado muito uma vez que continua na Itália, e seu irmão gêmeo Mike parecer ter ”certos” problemas que o impossibilita de ajudar qualquer um.
No entanto apesar de todo o amor dos amigos e familiares, e todas aquelas pessoas que nunca sabem o que fazer mas tentam de alguma forma ajudar nem que seja dando uma torta, ela continua na filosofia do ”Danem-se e me deixem em paz” tudo ela desdenha, reclama…eu amei seu humor negro, a forma como sutilmente ela destrata e afasta as pessoas nesse momento.
Muitas coisas acontecem nesse enredo, temos o Padre Jake, ele é um homem maduro, porém bonito e cheio de mistérios, ele esconde um passado de muita dor. No entanto mancomunado com a tia Jude ele frequenta regularmente as sextas-feiras a casa de Janie para conversar.
Ainda tem  o empreiteiro Tug,  este foi contratado por seu falecido marido para lhe fazer uma varanda. Ele é um personagem enigmático, meio apagado pela autora no inicio da trama, acredito que para nos desviar a atenção. Ele se infiltra tão sorrateiramente na vida de Janie que nem nós leitores percebemos quando foi que ele se tornou tão essencial. Ele é adorado pelos filhos dela.
A história nos envolve em dramas familiares, espirituais e amorosos, nos envolvemos e pouco a pouco somos vivenciando toda a história junto com os personagens, seus jeitos de lidar com o sofrimento, com o dia a dia familiar.
A início confesso que achei o livro triste de mais, até chato em alguns momentos, mas me dei a oportunidade de continuá-lo, me envolvi, me encantei, é uma bela e emonante história, os personagens em sua complexidade nos acaba dando uma verdadeira lição de vida. Chorei, vibrei, fiquei com raiva, encantada, emocionada, envolvida, ri, chorei, torci pra caramba pela felicidade pessoal de Janie, pois apesar da perda que a vida a deu, ela não poderia nunca me amarrar a dor e ao rancor.
Valeu muito a pena ler Proteja-me
Tatiana Sampaio
Julie
Juliette Fay tem um bacharelato pela Faculdade de Boston e um mestrado pela Universidade de Harvard. Vive em Massachusetts com o marido e quatro filhos pequenos. Protege-me é o seu primeiro romance.
Postar um comentário

Blogger templates